Coxinha de Frango

0 Postado por - 11 de dezembro de 2014 - +, Cozinha, Receitas

Existem mil histórias sobre a origem da coxinha, eu até fiz uma pesquisa para colocar aqui para vocês, mas encontrei tantas diferentes, que é difícil saber qual é verdadeira, mas dentre estas histórias, achei esta interessante:

“Publicada no livro Histórias e receitas de Nadir Cavazin, conta que o filho da Princesa Isabel e do Conde D’Eu, uma criança que foi afastada da corte por ter possíveis problemas mentais, tinha por prato favorito frango, mas só comia a coxa. E um dia, por não ter frango suficiente, a cozinheira decidiu transformar um frango inteiro em coxas, desfiando-o e fazendo-o recheio de uma massa de farinha de trigo. A criança aprovou o resultado e a Imperatriz Tereza Cristina quando foi visitá-lo, não resistiu e saboreou a guloseima, gostou tanto que solicitou que o mestre da cozinha imperial aprendesse. Assim a coxinha ganhou a nobreza.”  Trecho retirado do blog “Cozinha & Historia“.

Claro, não da para saber se essa é a história real da origem da coxinha, mas achei interessante e resolvi compartilhar aqui com vocês.

A questão é que hoje a Coxinha é um salgado obrigatório em festinhas de aniversário, coquetéis, festas, casamentos, a coxinha é bem vinda em qualquer ocasião. E ontem foi aniversário do meu pai, como tirei alguns dias de férias, resolvi fazer esse carinho para ele, fui lá na casa dos meus pais a tarde e fiz coxinhas para comermos a noite na festinha dele.

Sim, cozinhar para mim é um gesto de amor, cuidado, carinho e achei que seria muito legal se eu mesma fizesse os salgados da noite, eu fiz uma receita de coxinha e uma de quibe, a de quibe eu posto um outro dia. E reunindo várias receitas e dando meus pitacos, cheguei a esse resultado.

 

COXINHAS DE FRANGO DA ELAINE

INGREDIENTES

– 250 ml da água do cozimento do frango

– 350 ml de leite integral

– 1 caldo de galinha

– 2 colheres (sopa) bem cheias de manteiga sem sal

– 1 kg de batata cozida e passada no espremedor (pesei 1 kg de batata, descasquei, cozinhei e espremi)

– 100 g de queijo parmesão ralado na hora

– 1 caixinha de creme de leite

– 500 g de farinha de trigo

– 1 colher (chá) de sal

 

RECHEIO

– 1 peito de frango grande

– 1 cebola grande picada

– 4 dentes de alho picados

– 2 tomates grandes maduros

– cheiro-verde a gosto

– sal quanto baste

 

PARA EMPANAR

– água bem gelada

– farinha de rosca quanto baste

 

MODO DE PREPARO

Comece preparando o recheio para que ele esteja frio, quando for moldar suas coxinhas. Cozinhe o peito de frango com um pouco de sal na panela de pressão por 30 minutos depois que pegar a pressão. Desligue o fogo, espere sair a pressão da panela, retire o frango da panela, reserve a água do cozimento para utilizá-la na massa e desfie o frango.

Em uma panela média, refogue o alho e a cebola com um fio de azeite, quando a cebola murchar, adicione o tomate picado, tampe a panela e deixe abafar por uns 2 minutinhos para amolecer. Adicione o frango desfiado, tempere com sal ou o tempero de sua preferência, adicione o cheiro-verde e deixe a água secar. Retire do fogo e deixe esfriando.

Esse é o jeito que eu costumo temperar o frango, mas o recheio fica a critério de cada um, só tome cuidado para que o recheio não fique muito úmido, porque depois dificulta na montagem.

Enquanto o recheio esfria, vamos a massa.

Em uma panela grande, coloque a água do cozimento do frango, o leite e a manteiga e deixe ferver. Adicione então a batata amassada, o sal e o queijo parmesão ralado, misture tudo muito bem. Em seguida adicione o creme de leite e por fim a farinha de trigo de uma só vez.

Misture tudo vigorosamente, até que a massa fique homogênea e solte do fundo da panela, não tenha pressa, é necessário paciência e força nos braços, para que a massa fique cozida por completo. Se achar que está muito pesada a massa, pode colocar um pouco mais da água do cozimento do frango (no meu caso não foi necessário).

Despeje a massa em uma superfície limpa e comece a sová-la. Cuidado para não se queimar, comece sovando com uma espátula, até que a massa esfrie um pouco e você consiga utilizar as mãos. Sove a massa por uns 5 minutinhos, ou até que ela esteja bem lisinha e homogênea. Prove a massa e acerte o sal.

Pegue pequenas porções de massa, abra como um círculo nas mãos, recheie e feche modelando no formato de uma gota. Eu modelei em um tamanho médio eu diria, não são pequenas como as de coquetel, mas não são grandes como as de padaria, do tamanho que segue nas fotos abaixo, o rendimento dessa receita foram 54 coxinhas.

Depois de toda massa estar recheada e moldada, vamos empanar passando na água bem gelada, eu faço assim, encho um recipiente fundo com água e coloco alguns cubos de gelo. Mergulho as coxinhas nessa água bem gelada e em seguida passo na farinha de rosca.

Frite em óleo quente, tomando cuidado para não queimá-las e deixar o recheio frio. Depois que comecei a empanar com água gelada, nunca mais as minhas coxinhas abriram, não sei dizer o por quê, só sei que funciona super bem essa técnica e a coxinha fica com uma casquinha super crocante.

A massa fica linda, lisinha, fácil de modelar e depois de frita, fica com a casquinha crocante, por dentro a massa bem macia e o recheio bem saboroso.

Impossível comer um só. Já testei um milhão de receitas de coxinhas, mas essa adaptação é a campeã, fica muito boa, podem fazer em casa, que é uma receita coringa e super fácil de fazer.

Publicitária, canceriana, namorada/esposa, apaixonada por gatos, make, esmaltes, moda, culinária, adora escrever e divagar sobre os mais diversos assuntos.

2 + comentários

  • Bruna 20 de dezembro de 2014 - 09:42 Responder

    Oie mto feliz em te ver por aqui de novo viu…Amo suas receitasssss

    • Elaine Fujiwara 20 de dezembro de 2014 - 10:53 Responder

      Olá Bruna!
      Obrigada pelo carinho de sempre, viu?! Espero que goste desse novo espaço!
      Beijão querida!

    Deixe uma resposta